fbpx

The Three Stooges

Compartilhe!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

 

Semana quente essa, por causa do deputado federal Waldir Maranhão. Ele, na cadeira de Presidente da Câmara, resolveu anular a sessão plenária que autorizou a instauração do processo de impeachment da Presidente Dilma, 22 dias depois de realizada e com o processo já no Senado Federal, com relatório aprovado pela Comissão Especial. Decisão insana, mas que deixou lições para quem lida com a política, principalmente, no campo da comunicação.

A primeira lição diz que o político deve, antes de ouvir os amigos, os conselheiros de plantão ou assessores, deve ouvir os eleitores. Waldir Maranhão escolheu ouvir dois aliados e com eles formou um trio trágico no início, cômico no final: o Juiz Flávio Dino, hoje Governador do Maranhão e o advogado José Eduardo Cardozo, Advogado Geral da União. Malandros demais, Flávio Dino e José Eduardo, mesmo sabendo que a decisão do deputado Waldir poderia não ter efeito legal, usaram o cara num plano exótico: plantar na história futura do Brasil, a sessão plenária da Câmara como uma fraude.

Não conseguiram, porque assim que a decisão chegou ao distinto público, provocou confusão, até pousar na mesa no Presidente do Senado. Ele, imediatamente, deu tratos à bola, racionalizou o processo e isso acalmou o povo. No final da linha, a mensagem aterrorizante virou piada nacional.

Entramos, então, na segunda lição. A comunicação não é o que a fonte diz, decide ou escreve, mas aquilo que o destinatário compreende.

 

Por Jackson Vasconcelos

Mais Publicações

Quer aprender mais sobre política?

Conheça nosso curso.