fbpx

“Não há regra na eleição americana”

Compartilhe!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

“Não há regra na eleição americana”, traduziu Camila Zarur, das palavras que ouviu do correspondente da revista “The New Yorker”, Ryan Lizza. A entrevista está na página 2 do O Globo de quarta-feira, 18 de outubro.

Ryan faz considerações sobre a campanha e eleição de Donald Trump. Ele mostra que resultado inesperado derrubou um velho costume, uma regra, das eleições americanas. Daí, a manchete.

Diz ele: “Em geral, o que acontecia era que candidatos como Trump nunca iam muito longe. Eles podiam até ganhar força e conquistar o coração de uma parte do partido durante as primárias. Mas, em algum ponto, não aguentavam a pressão e sumiam”.

Pode ser, mas, a eleição do Trump, se derrubou uma antiga regra as campanhas eleitorais americanas, confirmou uma antiga norma essencial para estabelecer a estratégia, que vale para qualquer eleição em qualquer lugar do mundo: nunca subestime ou superestime os adversários.

A íntegra da entrevista com Ryan está AQUI. No meu canal do youtube, e abaixo, compartilho vídeos sobre o tema.

Por Jackson Vasconcelos

Mais Publicações

Clipping

Não há democracia a defender.

Fico irritado, toda vez que ouço os agentes do Estado Brasileiro dizerem que tomam decisões em defesa da democracia. Sejam eles nomeados por concurso ou

Uncategorized

O baralho Brasil.

O coelho entra e anuncia:“Sua Graça!”“Sua Excelência!”“Sua Real Majestade!”“A Rainha de Copas!…”. E, com certo desprezo:“E o rei! “ A Rainha, então, reclama:“Quem pintou as

Quer aprender mais sobre política?

Conheça nosso curso.